Teste do Pezinho

O teste do pezinho é essencial para detectar possíveis problemas com a saúde do bebê. (Foto: Divulgação)
O teste do pezinho é essencial para detectar possíveis problemas com a saúde do bebê. (Foto: Divulgação)

Quando um bebê nasce, exames de rotina são feitos para verificar a presença de doenças, para poder entrar com medidas preventivas e tratamentos específicos. O exame laboratorial mais comum é o teste do pezinho, chamado também de triagem neonatal, detecta precocemente doenças metabólicas, genéticas e infecciosas.

Essas doenças poderão causar alterações no desenvolvimento neuropsicomotor do bebê. Falemos numa linguagem mais simples. O exame recebe esse nome, pois a coleta do sangue é feita a partir de um furinho no calcanhar do bebê.  O exame do pezinho é essencial para o desenvolvimento da saúde do seu bebê.

Teste do Pezinho: Dicas e como fazer

Esse exame é realizado em grande parte nas maternidades quando o bebê completa 48 horas de vida. Antes disso, o teste pode sofrer influência do metabolismo da mãe. O exame também é feito em laboratórios. O ideal é que o teste seja feito até o sétimo dia de vida. Basta apenas uma picada no calcanhar do bebê para retirar algumas gotinhas de sangue que serão colhidas num papel filtro e levadas para serem analisadas.

Dicas para o Teste do Pezinho

  • Não esqueça de buscar o resultado. Qualquer alteração no resultado, leve para o pediatra examinar.
  • Não se preocupe se tiver que repetir o exame. O teste do pezinho exige repetição para esclarecer o primeiro resultado, quando suspeito de normalidade ou quando o teste é realizado antes de 48 horas de vida.
  • Um resultado normal, mesmo no teste ampliado, não afasta a possibilidade de outras doenças neurológicas genéticas ou adquiridas. O teste não diagnostica, por exemplo, a síndrome de Down.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *