Cirurgia de adenóide e amigdalas

Cirurgia de adenoide e amigdalas
As amídalas e adenóides podem ser alvos constantes de inflamações, sendo indicada a cirurgia. (Foto: Divulgação)

Dentre todas as cirurgias que são realizadas, a retirada de amídalas e adenóides são as mais realizadas em crianças em todo mundo. Embora tenha havido uma grande evolução dos antibióticos, e muitos casos se resolvam com a ingestão de medicamentos, a cirurgia de adenóide e amigdalas ainda é bem comum.

As amídalas ficam na parte de trás da boca, perto da garganta, e são visíveis quando se abre a boca. Já as adenóides ficam na parte de trás do nariz e do palato mole, não sendo visíveis quando se abre a boca. Essas duas partes do corpo fazem parte do sistema imunológico do nosso organismo. Sabe-se que essas duas partes do corpo são importantes nos primeiros anos de vida da criança. Porém, depois o corpo pode iniciar o combate às doenças de outras maneiras, mesmo sem amídalas e adenóides.

Como ficam perto das duas grandes portas de entradas de “corpos estranhos”, como vírus e bactérias, as amídalas e adenóides podem ser alvos constantes de inflamações, aumentando de tamanho, atrapalhando na hora de comer e respirar.

Cirurgia de adenóide e amigdalas

Quando as inflamações das amídalas são constantes podem provocar dificuldade de engolir, diminuição do apetite, febre, dor de garganta e mal-estar geral. Já as infecções ou hipertrofia constante da adenóide podem provocar respiração pela boca e conseqüente alteração do desenvolvimento crânio-facial (arcada dentária e músculos faciais), respiração ruidosa, ronco, apnéia (parada da respiração durante o sono), voz anasalada, infecções de ouvido e secreção nasal constante.

Tudo isso provoca problemas e podem levar à complicações mais graves. Por isso, a cirurgia de retirada é muitas vezes indicada ainda quando criança, afim de evitar todos e quaisquer futuros problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *